Procurar questões

Moderador: 4,0
Direitos dos cidadãos
Geovan - Pouso Alegre/MG Fechada Fundamental I Ciências Humanas

Relacione cada situação ao seu direito, sendo:


(1) Direito Civil
(2) Direito Social
(3) Direito Político

(   ) João votou para presidente na última eleição
(   ) Geraldo e Antônia conseguiram esse ano a casa própria pela programa "Minha Casa, Minha Vida".
( ) O filho de Maria conseguiu vaga na escola perto de casa, podendo assim, ir sozinha, sem a companhia dos pais.
(  ) Jorginho não está conseguindo frequentar a escola por falta de transporte pois ele mora na zona rural.
(   ) Gustavo pode ser candidato a vereador nesse ano.
(   ) No bairro Cidade Jardim, foi criada uma área de lazer para a população.
(   ) Camila conseguiu matricular seu filho autista em uma escola regular.
(   ) Marquinhos é católico e é melhor amigo de Pedro, que é evangélico.
(   ) Renata está muito feliz pois passou no vestibular de medicina.
(   ) Mônica se filiou ao mesmo partido de seu amigo Joaquim.
(   ) Guilherme mostrou orgulhosamente aos pais sua carteira de trabalho com a assinatura do primeiro empregador.
(   ) Simone engravidou do primeiro filho e fez todo o pré-natal e parto pelo SUS.
(   ) Meu vizinho teve o carro roubado, mas já foi recuperado e o ladrão foi preso.


Fonte: Professores Marília Lucília Nascimento, Vânia Soares de Martinelli e Sirlene Aparecida Fernandes


3 - 2 - 2 - 2 - 3 -  2 - 2 - 1 - 2 - 3 - 2 - 2 - 1.

Avalie
Moderador: 4,0
Porcentagem / Impostos
Geovan - Pouso Alegre/MG Aberta Fundamental I Matemática

Mamãe foi ao mercado fazer a compra do mês. Observe na tabela abaixo alguns dos produtos de sua lista e os impostos que ela pagou sobre cada um:


PRODUTOPREÇOIMPOSTO (%)IMPOSTO (R$)
AchocolatadoR$ 10,0040%
ArrozR$ 20,0015%
Carne bovinaR$ 30,0020%
LeiteR$ 5,0010%
CatchupR$ 10,0040%

a) Qual o valor total de impostos que mamãe pagou nessa compra?

b) Qual produto tem o maior valor pago em impostos?

c) Qual a diferença de tributos entre o leite, o achocolatado e o catchup?

d) Reflexão: Por que será que existe essa diferença? Alguns impostos bem mais altos que outros?

Fonte: Maria Marques, Lydia Santos, Marli Sousa, Gislaine Maciel, Juliana Frugolli, Mara Pereira.


a) Multiplicar a coluna do preço pela coluna do imposto (%) e dividir por 100 para descobrir quanto foi pago de imposto em cada produto em dinheiro (reais).


PRODUTOPREÇOIMPOSTO (%)IMPOSTO (R$)
AchocolatadoR$ 10,0040%R$ 4,00
ArrozR$ 20,0015%R$ 3,00
Carne bovinaR$ 30,0020%R$ 6,00
LeiteR$ 5,0010%R$ 0,50
CatchupR$ 10,0050%R$ 5,00

Agora basta somar os valores em reais, que dá um total de 18 reais.

b) O maior imposto é sobre o catchup, que são 50%. A resposta não é carne bovina, porque apesar de serem 6 reais, mas é tirado de 30 reais, ou seja, 20% ou dois décimos. Já o catchup são 5 reais de 10 reais, que significa que a metade (5 reais) é pago em imposto.

c) O leite são 10% e o achocolatado 40%, então o achocolatado tem 4 vezes mais imposto. Já o catchup tem 5 vezes mais imposto do que o leite.

d) Isso acontece porque normalmente os produtos mais básicos, essenciais (como o leite, o arroz), têm imposto mais baixo. Já os produtos mais supérfluos (menos essenciais), como o achocolatado e o catchup, têm imposto mais caro.

Avalie
Moderador: 4,0
Bandeiras / Formas Geométricas / Símbolos Nacionais
Geovan - Pouso Alegre/MG Dinâmica Fundamental I Ciências Humanas

Cada aluno deverá escolher a bandeira de um estado do Brasil e pesquisar a origem dela.

Sobre o desenho da bandeira analisar as formas geométricas e associação de traços, linhas e cores.

Quanto à pesquisa sobre a origem, abordar outras características gerais do estado tais como: aspectos sociais, geográficos, culturais, políticos, econômicos, etc.

Fonte: Karla Carrasco e Rosimeire Rezende


(dinâmica)

Avalie
Moderador: 4,0
Eleições / Regra de três / Porcentagem
Geovan - Pouso Alegre/MG Aberta Fundamental II Matemática

Nas últimas eleições presidenciais de 2018 estavam aptos a votar 147.300.000 brasileiros, no entanto, apenas 80% compareceram às urnas e destes, 6% votaram em branco e 4% nulo. Sabendo que o número de votos válidos é formado descontando dos votos totais os votos brancos e nulos responda:

a) Quantos eleitores compareceram ao pleito de sete de outubro?
b) Qual o número de votos em branco nessa eleição? E nulos?
c) Sabendo que o candidato eleito obteve 57.800.000 votos, qual percentual isto representa no universo de eleitores aptos a votar?
Fonte: Professor Jefferson Ferreira - Escola Anathália de Lourdes Camanducaia


a) 117.840.000 eleitores.

b) 7.070.400 votos brancos e 4.713.600 votos nulos.

c) 39,24% dos eleitores aptos a votar.

Avalie
Moderador: 4,0 Visitantes:      3,0
Cruzadinha / Constituição em Miúdos
Geovan - Pouso Alegre/MG Visual Fundamental II Ciências Humanas

Complete a cruzadinha para descobrir o nome da Lei maior de nosso país:

1 - Constituição de 1988. Conhecida como...

2 - Sede (local) de Poder Legislativo Federal.

3 - Capacidade de organizar-se politicamente sem a intromissão de outro Estado.

4 - Capital administrativa do Brasil.

5 - Poder responsável pela execução das leis.

6 - Regime político do Brasil.

7 - Poder responsável pela elaboração e aprovação das leis.

8 - Constituição aprovada.

9 - Forma de governo adotada no Brasil.

10 - Os governantes são escolhidos através das...

11 - Forma que os órgãos públicos utilizam para contratar produtos e serviços.

12 - O voto no Brasil é...


Fonte: professores Maria Regina, Adriana, Cidinha, Adriano e Ezequiel de escolas municipais de Pouso Alegre


Avalie
Moderador: 4,0
História dos impostos
Geovan - Pouso Alegre/MG Dinâmica Fundamental II Ciências Humanas

TEXTO

Brasil ocupa último lugar em ranking de retorno social de impostos (GUILHERME UCHOA EM 25 DE ABRIL DE 2017) 

Um levantamento feito entre as 30 nações com maior carga tributária apontou que o Brasil é o que pior traduz em retorno para a população os impostos arrecadados.

De acordo com um levantamento feito pelo Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação (IBPT), o Brasil ocupa o último lugar no ranking dos 30 países com maior carga tributária do mundo no que diz respeito ao retorno de valores arrecadados em prol do bem-estar da sociedade.

Sendo assim, entre as nações onde o fardo tributário é mais pesado, o Brasil é aquele em que a população recebe o pior retorno. Foi essa a constatação feita pelo presidente do IBPT, João Eloi Olenike. Para ele, apesar de pagar uma das maiores cargas tributárias do mundo, o brasileiro continua recebendo péssimos serviços públicos. Além disso, ele também criticou o possível aumento de impostos que o governo está sinalizando.

“O governo deveria se preocupar com o corte de alguns gastos que continuam excessivos no Brasil. Não é mais possível aumentar impostos para financiar más administrações do dinheiro público”, disse.

Rankings
No levantamento dos 30 países com maiores cargas tributárias do mundo, o Brasil ocupa a 14ª colocação, com os tributos representando 35,04% em relação ao PIB nacional. No topo da lista encontram-se Dinamarca (45,2%), Finlândia (44%) e Bélgica (43,2%).

A relação ainda conta com nações como França (4º lugar, com 43%), Alemanha (12º, com 36,7%), Reino Unido (17º, com 32,9%) e Estados Unidos (28º lugar, com 26,4%).

Já no índice de retorno ao bem estar da sociedade, o Brasil fica com a 30ª e última posição. O pódio desse ranking é ocupado por Austrália, Coréia do Sul e Estados Unidos que, na relação de maiores cargas tributárias, figuram, respectivamente, em 26º, 30º e 28º lugares.

“Analisando a carga tributária dos 30 países que mais pagam impostos com o Índice de Desenvolvimento Humano, o Brasil permanece na última colocação. Se compararmos com outros países em desenvolvimento ou nossos vizinhos da América do Sul, percebemos que o brasileiro paga muito para ter pouco retorno”, explica o presidente do IBPT.

Tributação sobre a renda
Ainda de acordo com Olenike, o foco tributário brasileiro está sobre o consumo, o que afeta mais o bolso da população mais pobre e vai na contramão do que é feito no mundo.

“Infelizmente a gula arrecadatória do governo atinge quem tem menor poder aquisitivo. Gostaríamos de ver o governo tributando mais a renda, o patrimônio e o lucro, no lugar de tributar cada vez mais o consumo. Essa é uma tributação agressiva e pune quem tem menos condições financeiras”, avalia.

QUESTÃO
Após a leitura do texto, reunir os alunos e fazer uma roda de conversa a respeito do tema: a história dos tributos no mundo e no Brasil. Segue na resposta sugestões.


- A origem dos impostos passando pela História antiga (ex.: escribas no Egito), pela cobrança feita na idade média, no império romano, etc. e suas consequências;

- O Brasil como colônia de exploração; bem como a origem da expressão “quinto dos infernos” e a Inconfidência Mineira; 

- As diferenças entre países com maior ou menor intervenção do estado na economia e o índice de retorno de bem estar social;

Avalie
Moderador: 5,0
Retorno de impostos / Morfologia / Sintaxe
Geovan - Pouso Alegre/MG Aberta Médio Linguagens

TEXTO


Brasil ocupa último lugar em ranking de retorno social de impostos (GUILHERME UCHOA EM 25 DE ABRIL DE 2017)


Um levantamento feito entre as 30 nações com maior carga tributária apontou que o Brasil é o que pior traduz em retorno para a população os impostos arrecadados.

De acordo com um levantamento feito pelo Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação (IBPT), o Brasil ocupa o último lugar no ranking dos 30 países com maior carga tributária do mundo no que diz respeito ao retorno de valores arrecadados em prol do bem-estar da sociedade.

Sendo assim, entre as nações onde o fardo tributário é mais pesado, o Brasil é aquele em que a população recebe o pior retorno. Foi essa a constatação feita pelo presidente do IBPT, João Eloi Olenike. Para ele, apesar de pagar uma das maiores cargas tributárias do mundo, o brasileiro continua recebendo péssimos serviços públicos. Além disso, ele também criticou o possível aumento de impostos que o governo está sinalizando.

“O governo deveria se preocupar com o corte de alguns gastos que continuam excessivos no Brasil. Não é mais possível aumentar impostos para financiar más administrações do dinheiro público”, disse.

Rankings
No levantamento dos 30 países com maiores cargas tributárias do mundo, o Brasil ocupa a 14ª colocação, com os tributos representando 35,04% em relação ao PIB nacional. No topo da lista encontram-se Dinamarca (45,2%), Finlândia (44%) e Bélgica (43,2%).

A relação ainda conta com nações como França (4º lugar, com 43%), Alemanha (12º, com 36,7%), Reino Unido (17º, com 32,9%) e Estados Unidos (28º lugar, com 26,4%).

Já no índice de retorno ao bem estar da sociedade, o Brasil fica com a 30ª e última posição. O pódio desse ranking é ocupado por Austrália, Coréia do Sul e Estados Unidos que, na relação de maiores cargas tributárias, figuram, respectivamente, em 26º, 30º e 28º lugares.

“Analisando a carga tributária dos 30 países que mais pagam impostos com o Índice de Desenvolvimento Humano, o Brasil permanece na última colocação. Se compararmos com outros países em desenvolvimento ou nossos vizinhos da América do Sul, percebemos que o brasileiro paga muito para ter pouco retorno”, explica o presidente do IBPT.

Tributação sobre a renda
Ainda de acordo com Olenike, o foco tributário brasileiro está sobre o consumo, o que afeta mais o bolso da população mais pobre e vai na contramão do que é feito no mundo.

“Infelizmente a gula arrecadatória do governo atinge quem tem menor poder aquisitivo. Gostaríamos de ver o governo tributando mais a renda, o patrimônio e o lucro, no lugar de tributar cada vez mais o consumo. Essa é uma tributação agressiva e pune quem tem menos condições financeiras”, avalia.

QUESTÃO
a) Classifique a classe gramatical das palavras grifadas no seguinte período: “Essa é uma tributação agressiva e pune quem tem menos condições financeiras”.

b) Classifique sintaticamente as orações do 1º período do 3º parágrafo do texto.
“Sendo assim, entre as nações onde o fardo tributário é mais pesado, o Brasil é aquele em que a população recebe o pior retorno.“


a)

Essa – pronome demonstrativo

é – Verbo de ligação no presente do indicativo
uma – artigo indefinido
agressiva – adjetivo
e – conjunção aditiva
menos – advérbio de intensidade
condições – substantivo abstrato

b)
Oração principal - Sendo assim, entre as nações, o Brasil é. 
Oração subordinada adjetiva restritiva - onde o fardo tributário é mais pesado.
Oração subordinada substantiva predicativa - aquele em que a população recebe o pior retorno.

Avalie
Moderador: 4,0
Retorno de impostos / PIB / Matemática
Geovan - Pouso Alegre/MG Aberta Médio Matemática

TEXTO 

Brasil ocupa último lugar em ranking de retorno social de impostos (GUILHERME UCHOA EM 25 DE ABRIL DE 2017)


Um levantamento feito entre as 30 nações com maior carga tributária apontou que o Brasil é o que pior traduz em retorno para a população os impostos arrecadados.

De acordo com um levantamento feito pelo Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação (IBPT), o Brasil ocupa o último lugar no ranking dos 30 países com maior carga tributária do mundo no que diz respeito ao retorno de valores arrecadados em prol do bem-estar da sociedade.

Sendo assim, entre as nações onde o fardo tributário é mais pesado, o Brasil é aquele em que a população recebe o pior retorno. Foi essa a constatação feita pelo presidente do IBPT, João Eloi Olenike. Para ele, apesar de pagar uma das maiores cargas tributárias do mundo, o brasileiro continua recebendo péssimos serviços públicos. Além disso, ele também criticou o possível aumento de impostos que o governo está sinalizando.

“O governo deveria se preocupar com o corte de alguns gastos que continuam excessivos no Brasil. Não é mais possível aumentar impostos para financiar más administrações do dinheiro público”, disse.

Rankings
No levantamento dos 30 países com maiores cargas tributárias do mundo, o Brasil ocupa a 14ª colocação, com os tributos representando 35,04% em relação ao PIB nacional. No topo da lista encontram-se Dinamarca (45,2%), Finlândia (44%) e Bélgica (43,2%).

A relação ainda conta com nações como França (4º lugar, com 43%), Alemanha (12º, com 36,7%), Reino Unido (17º, com 32,9%) e Estados Unidos (28º lugar, com 26,4%).

Já no índice de retorno ao bem estar da sociedade, o Brasil fica com a 30ª e última posição. O pódio desse ranking é ocupado por Austrália, Coréia do Sul e Estados Unidos que, na relação de maiores cargas tributárias, figuram, respectivamente, em 26º, 30º e 28º lugares.

“Analisando a carga tributária dos 30 países que mais pagam impostos com o Índice de Desenvolvimento Humano, o Brasil permanece na última colocação. Se compararmos com outros países em desenvolvimento ou nossos vizinhos da América do Sul, percebemos que o brasileiro paga muito para ter pouco retorno”, explica o presidente do IBPT.

Tributação sobre a renda
Ainda de acordo com Olenike, o foco tributário brasileiro está sobre o consumo, o que afeta mais o bolso da população mais pobre e vai na contramão do que é feito no mundo.

“Infelizmente a gula arrecadatória do governo atinge quem tem menor poder aquisitivo. Gostaríamos de ver o governo tributando mais a renda, o patrimônio e o lucro, no lugar de tributar cada vez mais o consumo. Essa é uma tributação agressiva e pune quem tem menos condições financeiras”, avalia.

QUESTÃO
a) Segundo o texto, os EUA ocupam 3º lugar no índice de retorno ao bem estar da sociedade. E dentre os 30 países, qual a posição como menor arrecadador de impostos?
b) Se em média um finlandês pagou US$ 20.108,00 de impostos em 2017, então quanto foi o PIB per capita da Finlândia nesse ano?


a) 3º Lugar.

b) 45.700 dólares.

Avalie
Moderador: 5,0
Retorno de impostos / PIB / Física
Geovan - Pouso Alegre/MG Aberta Médio Ciências da Natureza

TEXTO

Brasil ocupa último lugar em ranking de retorno social de impostos  (GUILHERME UCHOA EM 25 DE ABRIL DE 2017)

Um levantamento feito entre as 30 nações com maior carga tributária apontou que o Brasil é o que pior traduz em retorno para a população os impostos arrecadados. 

De acordo com um levantamento feito pelo Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação (IBPT), o Brasil ocupa o último lugar no ranking dos 30 países com maior carga tributária do mundo no que diz respeito ao retorno de valores arrecadados em prol do bem-estar da sociedade.

Sendo assim, entre as nações onde o fardo tributário é mais pesado, o Brasil é aquele em que a população recebe o pior retorno. Foi essa a constatação feita pelo presidente do IBPT, João Eloi Olenike. Para ele, apesar de pagar uma das maiores cargas tributárias do mundo, o brasileiro continua recebendo péssimos serviços públicos. Além disso, ele também criticou o possível aumento de impostos que o governo está sinalizando.

“O governo deveria se preocupar com o corte de alguns gastos que continuam excessivos no Brasil. Não é mais possível aumentar impostos para financiar más administrações do dinheiro público”, disse.

Rankings

No levantamento dos 30 países com maiores cargas tributárias do mundo, o Brasil ocupa a 14ª colocação, com os tributos representando 35,04% em relação ao PIB nacional. No topo da lista encontram-se Dinamarca (45,2%), Finlândia (44%) e Bélgica (43,2%).

A relação ainda conta com nações como França (4º lugar, com 43%), Alemanha (12º, com 36,7%), Reino Unido (17º, com 32,9%) e Estados Unidos (28º lugar, com 26,4%).

Já no índice de retorno ao bem estar da sociedade, o Brasil fica com a 30ª e última posição. O pódio desse ranking é ocupado por Austrália, Coréia do Sul e Estados Unidos que, na relação de maiores cargas tributárias, figuram, respectivamente, em 26º, 30º e 28º lugares.

“Analisando a carga tributária dos 30 países que mais pagam impostos com o Índice de Desenvolvimento Humano, o Brasil permanece na última colocação. Se compararmos com outros países em desenvolvimento ou nossos vizinhos da América do Sul, percebemos que o brasileiro paga muito para ter pouco retorno”, explica o presidente do IBPT.

Tributação sobre a renda

Ainda de acordo com Olenike, o foco tributário brasileiro está sobre o consumo, o que afeta mais o bolso da população mais pobre e vai na contramão do que é feito no mundo.

“Infelizmente a gula arrecadatória do governo atinge quem tem menor poder aquisitivo. Gostaríamos de ver o governo tributando mais a renda, o patrimônio e o lucro, no lugar de tributar cada vez mais o consumo. Essa é uma tributação agressiva e pune quem tem menos condições financeiras”, avalia.


QUESTÃO

Usando os conhecimentos de Movimento Retilíneo Uniforme (MRU) e Movimento Retilíneo Acelerado (MRA), ou seja, equações horárias de 1º e 2º graus, responda:

a) Como vimos no texto, a Austrália é o país que mais tem retorno do imposto recolhido. Seu PIB per capita, em 2017, era de US$ 53.800,00 e sua população de 24,6 milhões de habitantes. Então, qual foi o PIB da Austrália em 2017?

b) Supondo que a taxa de crescimento do seu PIB se mantivesse em 4% ao ano e o crescimento populacional nulo, em quantos anos o PIB da Austrália iria alcançar o PIB do Brasil, que em 2017 foi de cerca do dobro da Austrália, caso este mantivesse uma retração de 1% ao ano?






a) Sendo nesse caso espaço (S) = PIB ($); velocidade (V) = crescimento/retração do PIB e aceleração (a) = 0 devido a “mantivesse”:

So = $o = PIB AUS 2017 = 53.800,00 x 24,6M = US$ 1.323.480 milhões

b) Utilizando as equações horárias:
$ = $o + V . Δt + a . t2/2; sendo a = 0; então: $ = $o + V . Δt

$AUS = $BRA ; então:

$oAUS + 0,04 x $oAUS x t = $oBRA -0,01 x $oBRA x t
$oAUS + 0,04 x $oAUS x t = 2 x $oAUS -0,01 x 2 x $oAUS x t
0,04 x $oAUS x t + 0,02 x $oAUS x t = $oAUS

t = 16,67 anos.

Nessas condições o PIB da Austrália alcançaria o do Brasil em 16 anos e 8 meses.

Avalie
Moderador: 5,0
Autoridade por um dia / Representantes
Geovan - Pouso Alegre/MG Dinâmica Fundamental II Ciências Humanas

O projeto "Autoridade por um dia" visa uma maior aproximação entre jovens estudantes e seus representantes, além de ter a oportunidade de conhecer sobre os poderes.


Nesse projeto, alguns alunos das escolas do município são escolhidos para passar um dia com uma autoridade representante como: o Chefe do Poder Executivo Municipal, os Secretários Municipais, os Vereadores etc. acompanhando suas atividades em situação real de trabalho. Assim, podem vivenciar na prática as suas funções, tendo a percepção real dos seus trabalhos e a conscientização sobre a importância da participação da população na vida pública.


Ao fim, os participantes do projeto fazem um relatório das atividades que foram acompanhadas e depois recebem da autoridade que foi acompanhada, um certificado do projeto “Autoridade por um Dia”. 


FONTE: Escola do Legislativo de Pouso Alegre


O projeto pode ser estendido para diversas áreas importantes tais como: bombeiros, polícia rodoviária, exército, poder judiciário, Ministério Público, Companhias de água e energia, INSS, Associações (comercial, das indústrias, de bairros), etc. para que os jovens tenham contato com essas instituições tão fundamentais do nosso dia a dia e que não são estudadas tradicionalmente nas escolas.

Avalie

© Copyright 2019 - Portal Nacional da Cidadania
www.pcidadania.com.br